DÉCOR: reforma de apartamento construído na década de 70 - TOPVIEW

DÉCOR: reforma de apartamento construído na década de 70

Arquiteta Carina Dal Fabbro foi a responsável por modernizar, integrar e proporcionar amplitude ao imóvel com 168m²

Compartilhe

Muitas vezes o caminho da vida demanda escolhas e decisões. Em busca de mais conforto e espaço para curtir a família que estava crescendo, o casal chegou ao estágio de decidir pela mudança de casa. Assim, ficou para trás o primeiro imóvel para iniciar uma nova fase em um apartamento de 168m².

Além do salto no espaço, a construção, datada da década de 70 – com seu amplo pé-direito e as largas esquadrias –, combinada com a vista privilegiada para a área arborizada no bairro do Jardim Europa, zona sul de São Paulo, foram atributos perfeitos para o projeto de reforma assinado pela arquiteta Carina Dal Fabbro, do escritório Carina Dal Fabbro Arquitetura.

Após tantas décadas, o apartamento precisava passar por uma repaginação radical para que ficasse personalizado com os gostos e estilo dos moradores. Carina explica que o projeto trouxe, como essência, uma proposta de ambientes funcionais e contemporâneos.

Ao atualizar os conceitos de arquitetura de interiores, Carina apostou na integração dos ambientes para destacar a ala social e favorecer os momentos em família e os encontros com os amigos. Original, o piso de madeira foi mantido tanto pela beleza do material, como também pelo aconchego na composição do décor e a proteção termoacústica.

A integração dos ambientes foi um pedido dos clientes. (Foto: divulgação).

Na paleta, os tons neutros foram escolhidos como base em uma variação entre o cinza, off white e a madeira clara. “Trabalhei para ressaltar a sensação de leveza sem evidenciar nenhum modismo no décor”, destaca Carina.

Produzido sob medida, o móvel percorre a parede desde o estar até a sala de jantar, ocupando toda a extensão. Bem pensada, a marcenaria recebe os equipamentos do home theater e foi alternando profundidades e alturas para revelar a estante e o aparador. “Este detalhe permitiu a ideia de continuidade e fluidez no ambiente”, revela Carina. A estampa geométrica do tapete completa a atmosfera contemporânea do espaço.

A mesa de jantar com suporte no meio foi a opção mais indicada para as necessidades da família, que gosta de receber os amigos e pode acrescentar cadeiras sobressalentes para convidados. (Foto: divulgação).

Embora tenha perdido um pouco das dimensões para dar lugar ao lavabo, a cozinha ganhou em funcionalidade com o mobiliário planejado que recebe a maioria dos eletrodomésticos embutidos, a bancada de quartztone e os armários revestidos de branco e madeira. Cheio de charme, o revestimento que imita o ladrilho hidráulico, tendência na decoração, envolve o frontão da bancada e a parede da janela. As estampas, com desenhos diferentes, formam uma composição interessante e bem apresentada. 

O espaço recebeu acabamentos práticos para facilitar o dia a dia dos moradores. (Foto: divulgação).

A suíte simboliza a plenitude da privacidade do casal. “Com a solução de reduzir a cozinha para conciliar a criação do banheiro, os moradores toparam na hora”, relembra Carina. Com uma decoração discreta e atemporal, em sua totalidade, o dormitório ainda recebeu o closet e o home office.

Na planta original, o imóvel contava com três quartos, dois banheiros e nenhuma suíte. Coube à arquiteta realizar o desejo do casal. (Foto: divulgação).

Os moradores também solicitaram que o quarto das crianças pudesse acompanhar o crescimento, sem a necessidade de grandes intervenções em um futuro próximo. Para o menino, predomínio do azul – sua favorita e espaço de sobra para brincar, além de estimular a organização, já que o pequeno pode guardar os brinquedos e acessórios nas prateleiras mais baixas e nos caixotes com rodinha inseridos na parte inferior da bancada.

O azul é a cor favorita do filho mais velho e foi evidenciada na decoração do ambiente. (Foto: divulgação).

A filha mais nova nasceu quando a obra estava quase no fim e Carina pode ‘gestar’ o quartinho com os sonhos da mamãe e uma arquitetura pensada para atender essa linda relação que estava prestes a chegar. “O projeto por completo foi muito especial, mas o que nos deixou mais felizes foi poder participar de uma parte da gravidez, já que a obra durou quatro meses”, relembra com ternura a arquiteta.

O ambiente da mais nova segue a mesma proposta de acompanhar o crescimento dela. (Foto: divulgação).
In this article

Join the Conversation