ESTILO

Daniel Mocellin: o pizzaiolo por trás do sucesso do estilo napolitano em Curitiba

Apaixonado por gastronomia, Mocellin carrega uma história de sucesso na gastronomia curitibana, que teve início com a badalada hamburgueria WhataFuck

Inovar sem perder a tradição: esse é o segredo que consagrou a Pizzaria da Mathilda em Curitiba (PR). Buscando as referências mais clássicas da pizza italiana, tão diferentes do costume brasileiro, e dando seu toque especial às receitas, o empresário e pizzaiolo Daniel Mocellin apresentou um projeto de sucesso, que vem conquistando cada vez mais público. Com duas lojas e mais de 90 mil pizzas vendidas em menos de dois anos, a Mathilda é uma marca de destaque no novo cenário gastronômico da capital paranaense.

(Foto: Divulgação)

A relação de Mocellin com a boa gastronomia não é nova, mas começou de forma bem diferente. Jornalista por formação, trabalhou para restaurantes com comunicação e fotografia entre os anos de 2007 e 2015. Seu primeiro negócio dedicado à gastronomia foi o WhataFuck, hamburgueria que foi na contramão da “gourmetização” focando em um produto de qualidade e bem-feito com preço acessível em pontos da cidade que valorizavam a interação social. “Tenho muito orgulho em falar que o WhataFuck revolucionou a gastronomia de rua na cidade, oferecendo um novo conceito e tirando os curitibanos de casa”, comenta Mocellin.

(Foto: Divulgação)

O sucesso do WhataFuck e a facilidade em analisar e antecipar novas tendências ajudou Daniel Mocellin a desenvolver o projeto da Pizzaria da Mathilda. Apaixonado por pizzas, ele passou meses estudando processos, insumos e métodos de preparo para chegar nas receitas ideais. Além disso, o empresário já vislumbrava uma queda no conceito de bares de rua, e desenhou uma nova estrutura para a sua primeira pizzaria. “Inicialmente, pensei em um ambiente que eu queria ir, me sentar com os amigos e curtir a noite. O espaço deu tão certo que acabamos atingindo os mais variados públicos, até mesmo famílias inteiras. Também é um lugar que, se você quiser ir sozinho, você vai, porque foge de uma proposta conservadora de pizzaria, sem deixar de ser amistosa”, explica Mocellin. O formato de serviço descontraído e ambiente receptivo também fazem a diferença.

(Foto: Divulgação)

Estrela da marca, a pizza é preparada ao estilo napolitano, criado em Nápoles no século XVIII e considerado patrimônio imaterial da humanidade pela UNESCO, sendo o mais clássico formato de apresentação. “Quando comi pela primeira vez uma pizza napolitana, vi que não era parecido com nada que eu já tinha provado”, revela o pizzaiolo. “Decidi que iria abrir uma pizzaria nesse estilo assim que possível. O problema é que não havia nenhuma fonte próxima a mim com esse tipo de conteúdo. Inclusive, dois anos depois de abertos, pouco mudou”. Mocellin assistiu a centenas de vídeos no YouTube de pizzaiolos profissionais e amadores de Nápoles e de toda a Itália para aperfeiçoar seu preparo.

Receitas 

Diferente das pizzarias que fazem dezenas de sabores para pizzas gigantes, a Mathilda foca em 14 pedidas, sendo uma doce e 13 salgadas. “É sempre importante estarmos com sabores diferentes, e somos de certa forma bastante cobrados pelos nossos clientes”, o pizzaiolo afirma. “Acredito que nossa fórmula de sucesso está em um cardápio com pouquíssimos sabores, porém todos bem diferentes um do outro, e sempre feitos com o máximo de cuidado possível”. Diversos insumos da pizzaria são importados da Itália – até mesmo o forno é no tradicional estilo napolitano. Outros ingredientes são frescos e escolhidos com cuidado para elaborar as pizzas. “Achamos um produto fiel à tradição italiana, com insumos italianos, preço altamente competitivo e que conversa com todos os públicos”, complementa.

Os sabores da casa vão desde os mais tradicionais a criações e releituras originais. A Margherita é um clássico, preparada com farinha italiana, basílico, parmesão ralado na hora, mozzarella de búfala e azeite extravirgem. Levando o nome da casa, a pizza Mathilda tem mozzarela, frango moído frito temperado com páprica defumada e erva doce, cebola roxa, azeitona preta, orégano e molho de tomate. Há ainda pedidas veganas, como a León, de molho de tomate com berinjela em cubos, cebola branca, azeitona preta em pedaços e basílico.

O nome Mathilda, inclusive, vem do filme “O Profissional”, que levou Natalie Portman ao estrelato ainda na infância, e homenageada em uma música da banda Alt-J. A personagem, irreverente e decidida, inspirou a mascote que se tornou a cara da pizzaria, interagindo nas redes sociais com os mais de onze mil seguidores. “É um nome singular, de fácil pronúncia, feminino e pra lá de simpático”, o pizzaiolo explica sobre sua escolha.

Unidades

A primeira unidade da Mathilda foi inaugurada pouco antes do início da pandemia, na Avenida Vicente Machado (nº 859), no Centro de Curitiba – onde antes funcionava uma das unidades do WhataFuck. O formato proposto por Mocellin teve que ser repensado com rapidez. “A pandemia mudou tudo, de forma que nem tive condições de avaliar o produto e o negócio como um todo. Precisamos iniciar o delivery do dia para noite, por exemplo”, afirma. A adaptação rendeu frutos, tanto que, um ano depois, inaugurou a segunda unidade, na R. Rocha Pombo (nº 265), no bairro Juvevê.

As conquistas estimulam os planos de Mocellin e da equipe para 2022. Uma terceira unidade está em andamento para lançamento em abril do ano que vem. “Nossa ideia é terminar 2022 com 5 lojas próprias. Estamos prospectando franqueados, com expectativa de abrir 15 franquias até o fim de 2024”, define o pizzaiolo. “O que nos move é a vontade de ampliar o negócio, por acreditar muito no que fazemos diariamente, com muita força de vontade, amor, empenho e qualidade”, completa.

Deixe um comentário