Destaques selecionados do Festival de Curitiba - TOPVIEW

CURITIBA RESPIRA CULTURA! Confira os destaques selecionados do Festival de Curitiba

São mais de 400 espetáculos que acontecem por toda a capital e região metropolitana

881 0
Compartilhe

Falta pouco mais de um mês para o Festival de Curitiba voltar aos palcos e calçadas da capital paranaense e região metropolitana. Com mais de 400 espetáculos que vão acontecer em teatros, praças, escolas e outros lugares, neste ano 7 estreias nacionais se apresentarão na categoria “Mostra”, além de grandes nomes globais que vão trazer cultura e arte para a nossa cidade. IMPERDÍVEL!

O Festival de Curitiba é segmentado em 7 modalidades:

Mostra: espetáculos que passaram por uma curadoria formada por profissionais atuantes;

Fringe: grande vitrine no cenário artístico, é um espaço aberto, democrático e sem curadoria, recebe a participação voluntária de qualquer companhia profissional;

Guritiba: espetáculos voltados ao público infanto-juvenil;

Mish-Mash:  atrações artísticas variadas em um único palco, mesclando teatro, música, circo e dança, com curadoria de Rafael Barreiros;

Risorama: mistura de estilos de stand up comedy que reúne os melhores humoristas do país, com curadoria de Diogo Portugal;

Gastronomix: evento musical e gastronômico que oferece um variado cardápio a preços acessíveis, criado por grandes chefs brasileiros sob a curadoria de Celso Freire;

Interlocuções: debates, oficinas, encontros, lançamentos de livros e outras experiências com programação inteiramente gratuita.

Neste ano a novidade do festival é a categoria “Mostra Convidada”, que abriga duas mostras de repertório de companhias brasileiras importantes. O evento mais aguardado pelos artistas e amantes de cultura é uma verdadeira democratização da arte: espetáculos variam entre pagos e gratuitos. <3

Conheça alguns dos destaques que separamos dentro da programação do Festival de Curitiba!

 

Mostra

 

O Frenético Dancin Days

Após ser um marco na noite carioca, a boate renasceu em forma de musical e, mais uma vez, a magia se fez. Nelson Motta é um dos autores do texto com a absoluta propriedade de quem foi um dos fundadores da boate e viveu toda a agitação que marcou época. O musical resgata esse clima de celebração da vida, de sentir a felicidade bater na porta e conta a história da Frenetic Dancing´Days Discotheque, boate idealizada, em 1976, pelos amigos Nelson Motta, Scarlet Moon, Leonardo Netto, Dom Pepe e Djalma. Deborah Colker aceitou o desafio e estreou na direção teatral nesta superprodução, com 17 atores e seis bailarinos.

Isto é Um Negro?

Um dispositivo, um estudo negro sobre a negritude, sobre o que é ser negro e negra no Brasil hoje, sobre o que é ser um(a) artista negro(A). Foi estudando Angela Davis, Fred Moten, Achille Mbembe, Bel Hooks, Grada Kilomba, Frantz Fanon, Sueli Carneiro e Aimé Cesaire que foram elaboradas as questões que se materializam em cada uma das cenas de IEUN. Como transformar teoria em cena? Como discutir negritude e questões raciais a partir da experiência singular de cada um dos interpretes?

PI – Panorâmica Insana

Prêmio APCA de melhor espetáculo de 2018, Pi – Panorâmica insana, da diretora Bia Lessa, traça um painel irônico do mundo contemporâneo. Com Cláudia Abreu, Leandra Leal, Rodrigo Pandolfo e Luiz Henrique Nogueira, a peça discute temas como indivíduo, civilização, sexualidade, política, violência, nação, miséria, riqueza, gênero e desejo. A dramaturgia do espetáculo foi concebida a partir dos ensaios e resultou numa escritura cênica não convencional, que transita entre as artes plásticas, o teatro e a dança.

Dogville

A trama se passa na fictícia Dogville, uma pequena e obscura cidade situada no topo de uma cadeia montanhosa, ao fim de uma estrada sem saída, onde residem poucas famílias formadas por pessoas aparentemente bondosas e acolhedoras, embora vivam em precárias condições de vida. A pacata rotina dos moradores daquele vilarejo é abalada pela chegada inesperada de Grace (Mel Lisboa), uma forasteira misteriosa que procura abrigo para se esconder de um bando de gangsteres.

Recital da Onça

Monólogo que marca a volta de Regina Casé aos palcos teatrais depois de mais de 25 anos. Sua personagem recebeu convite de Harvard para inventar um novo formato pop para palestras sobre literatura brasileira para estudantes estrangeiros. Ela precisa ensaiar suas propostas antes da viagem, a partir de textos de nossos grandes autores. “Recital da Onça” é esse “ensaio”. A plateia tem a tarefa de ajudá-la a escolher os textos mais adequados para essa missão e a enfrentar seu pavor de aeroportos, da imigração americana e do frio congelante do inverno em Harvard.

Fringe

 

A Noiva Abominável – Sherlock Holmes 

Para fãs do universo de Sherlock Holmes, a peça é um prato cheio. Fiel à obra literária, o espetáculo usa e abusa de conceitos e passagens citados por Arthur Conan Doyle. Na solução deste caso, Sherlock tem que encarar a aparente volta dos mortos da Senhora Ricoletti, a noiva abominável.

Projeto Urbano

Trabalho de Dança Contemporânea (des)orientado por Daniella Nery. Como se chega ao estado sólido e depois evapora? Quanto tempo para a diluição? Esbarrar e borrar nas tentativas dos outros, na delicadeza e na estranheza. Oposição na cidade cinza, no diverso e no singular. Qual a sua relação com a cidade?

Amores de Machado de Assis

O espetáculo repassa a vida do mais completo escritor brasileiro: Machado de Assis. Da infância pobre ao chalé do Cosme Velho, dos primeiros encantos às derradeiras decepções. Uma história que percorre as coxias de um dos principais nomes da literatura nacional e desvenda seus amores eternos.

Uma Trupe no País das Maravilhas

Um grupo de atores mambembes chega à cidade e inicia o espetáculo: uma adaptação do clássico de Lewis Carroll que conta a história de Alice, uma menina curiosa e inteligente que, cansada do seu mundo monótono e livros sem gravuras segue um curioso coelho e acaba caindo no “País das Maravilhas”.

Ex-Pele

Cada estado, cor e jeito de ser são estimulados através dessas histórias que juntas constroem esse espetáculo. O trabalho é feito em formato de teatro-fisico com o contexto dentro das censuras. Eles não desistem nunca de ter o lugar que almejam. Mas até que ponto vale a pena lutar pela nossa pele?

Guerra dos Sexos – Um é pouco, dois é bom, três é demais

Um casal desenvolve métodos e manias para manter o casamento de anos. Eles se amam, mas a rotina acaba fazendo com que procurem coisas novas para manter a chama do amor acesa. Só que as estratégias utilizadas para fugir da monotonia, ao invés de ajudar, terminam piorando a relação.

Mostra Stavis-Damasceno

Psicose 4h48 

Última peça da inglesa Sarah Kane discorre sobre depressão psicótica e sobre o que acontece à mente de uma pessoa quando desaparecem por completo as barreiras que distinguem a realidade das diversas formas de imaginação. Durante toda a sua curta vida, Kane foi atormentada por acessos depressivos. A cada nova ocorrência esses acessos foram gradativamente levando-a a um processo de suicídio que teve fim em 1999, aos 28 anos de idade. A experiência desses episódios e os tratamentos médicos a que teve que se submeter formaram a matéria-prima para a construção deste seu último texto.

Homem ao Vento

 A mais recente montagem da Stavis-Damaceno coloca o espectador em uma sala de ensaios. No espaço, nove atores tentam entender e dar andamento aos preparativos de uma peça melancolicamente cômica, repleta de confusões e perturbações próprias da mente do homem contemporâneo. 
 

Mostra Satyros

Cabaret TransPeripatético

Neste Artigo

Converse com a Gente