ESTILO

Conheça 4 regiões da Nova Zelândia e entenda o amor do povo pelos mares

Mais do que um esporte, a vela faz parte da história da Nova Zelândia, que sediou sede da 36ª America’s Cup, e o mar, parte da rotina dos kiwis

A Nova Zelândia é uma nação oceânica e os neozelandeses, ou kiwis, se consideram um povo do mar. As ilhas do país têm uma costa de mais de 15.000 quilômetros e os mares representam recursos econômico, alimentar e espiritual para o povo. Foi pelo mar que os ancestrais maori chegaram a Aotearoa – como eles chamam o país – e até hoje o espírito velejador está presente entre os neozelandeses. Ao conhecer alguns lugares fica fácil entender o porquê. Conheça alguns deles e sinta despertar a vontade de explorar os oceanos!

Auckland

(Foto: Chris Sisarich)

Conhecida como cidade das velas, não foi à toa que Auckland foi escolhida para sediar a America’s Cup. A região tem mais barcos per capita do que qualquer outro lugar do mundo, sem mencionar as diversas marinas. Os visitantes se impressionam ao encontrar um paraíso marítimo como o Golfo de Hauraki, na fronteira leste, tão perto de uma grande cidade. Do outro lado, a costa oeste acidentada é o local ideal para surfar e fazer kite-boarding.

A Explore GroupAuckland Harbour Sailing é uma atração tanto para quem quer se aventurar na navegação ou apenas relaxar em meio ao ar fresco do mar. O visitante ainda pode embarcar no Porto Waitemata e saborear uma refeição completa , enquanto desfruta do horizonte icônico da cidade no Auckland Harbour Dinner Cruise.

Bay of Islands

 

(Foto: Fraser Clements)

Composta por um grupo de 144 ilhas na Ilha Norte, a Baía das Ilhas (Bay of Islands) é considerada um dos melhores pontos de cruzeiro do mundo e todos os anos reúne iates na corrida inshore mais popular do país, o Clássico Costeiro de 120 milhas. Quem visita a região encontra praias isoladas de areia branca por toda parte e ampla oferta de frutos do mar.

Uma das atrações da região é o Sundowner Evening Cruise, cruzeiro noturno perfeito para terminar o dia, sentindo a deliciosa brisa marítima. Já o Island Hopper Sailing Cruise é uma opção para que não quer perder a oportunidade de velejar em águas calmas e intocadas, em meio à rica vida marinha e um santuário de aves.

Bay of Plenty

(Foto: Andy Belcher)

A região, que fica na Ilha Norte, é famosa por seu belo litoral e pela rica vida marinha, como já revela seu nome: Baía da Abundância. No local, é possível encontrar opções de cruzeiros para todos os gostos e bolsos. A região também abriga a cidade natal do velejador campeão olímpico Peter Burling, Tauranga. Foi ali que ele começou a praticar vela e agora faz parte da equipe Emirates Team New Zealand, que disputa o campeonato mundial.

Na cidade, os visitantes podem fazer o Dolphin & Wildlife Cruise, cruzeiro para explorar a vida selvagem e experiência perfeita para toda a família. Partindo da cidade Whakatane, a Whale Island (Moutohora) Snorkelling Sailing Trip oferece viagens de mergulho ao redor das ilhas de Moutohoroa e Rurimas, que são reservas naturais e cujas águas são ideais para uso do snorkel.

Wellington

Capital Wellington (Foto: Ian Trafford)

A capital do país tem um porto que abriga 13 iate clubes e tem numerosas baías, perfeitas para bote e vela. O vento constante na cidade atrai os marinheiros, em especial para o estreito de Cook, que divide as ilhas norte e sul. O Kapiti Explorer é um barco que foi construído para viajar para a Ilha Kapiti e é guiado por locais experientes. Na trajetória, os visitantes se deparam com uma floresta deslumbrante e uma reserva de aves nativas.

Para uma experiência de luxo, o Megisti Sailing Charters é imperdível. Trata-se de um catamarã de 12,6 metros, que durante uma hora navega nas águas límpidas, nas quais é possível avistar golfinhos, baleias, focas e até pinguins azuis.

Deixe um comentário