Coluna Fashion & Décor, junho de 2018 - TOPVIEW
Compartilhe

“Atemporal”, com certeza vocês já ouviram falar, é usado para indicar que algo ou alguém que não é afetado pelo passar do tempo.

Algumas pinceladas contemporâneas conceitualizam esse “décor ageless”: o mix de móveis de estilo, de design, obras de arte, tapeçarias ou itens de coleção escolhidos pelo valor sentimental, emocional ou formal imprimem extrema personalidade e atemporalidade aos ambientes, objetos de afeto, de viagens inesquecíveis pelo mundo, de diversas etnias, referências de uma história de vida esculpidas e recordações imortalizadas por famílias.

Casa é o nosso lugar no mundo e, portanto, deve ter a cara de quem vive nela… casa parte de dentro para fora.

Móveis e peças de decoração do Antiquário Cristiano Ross. Laura veste Baoo e sapato Corello. 1. Talha em estilo barroco, início do século 19. 2. Poltrona inglesa estilo georgiana. 3. Luminária em metal italiana, década de 1950. (Foto: Fernanda Pompermeyer )
Móveis e peças de decoração do Antiquário Cristiano Ross. Laura veste Baoo e sapato de cetim Corello. 1. Arandella italiana 1960 manufatura Fontana Arte. 2. Lustre francês em bronze e cristal de rocha. 3. Poltrona Mole Sérgio Rodrigues. 4. Mesas Art Decó 1930. (Foto: Fernanda Pompermeyer)

“O mix de móveis de estilo, de design, obras de arte, tapeçarias ou itens de coleção imprimem extrema personalidade e atemporalidade aos ambientes.

Assim como na moda: há roupas que “não saem de moda”, independentemente da estação, da temporada e das tendências do momento. Em termos de design, as peças não seguem o corte, o tecido ou a cor da vez, mas estão relacionadas a um posicionamento visual que independe do tempo e que, hoje em dia, busca um consumo mais responsável, que evite o descarte com uma frequência tão alta.

Pois, ao nascer o conceito de moda, ele não era relacionado a mudanças constantes e frequentes, como nos dias de hoje. Existia uma certa lealdade a um design que não dependia de tendências, sem a preocupação de se adaptar a constantes alterações temporais.

Resumindo, a pessoa de estilo não quer ser moderna, quer ser eterna. E estilo de verdade é a marca que cada um imprime no seu jeito de viver, de vestir e de morar…

Projeto clássico/contemporâneo por Angela Chinasso. (Foto: Marcelo Mainguê)
(Foto: Marcelo Mainguê)

“A pessoa de estilo não quer ser moderna, quer ser eterna.” Sig Bergamin

*Matéria publicada originalmente na edição de junho da revista TOPVIEW. 

In this article

Join the Conversation