Café: vilão ou necessário para a saúde? - TOPVIEW

Café: vilão ou necessário para a saúde?

Estudos divergem na quantidade, mas todos apontam para os benefícios da bebida

Compartilhe

Pesquisas sobre os benefícios do café costumam divergir na quantidade ideal sugerida para o consumo. Uma pesquisa liderada por Elizabeth Mostofsky, pesquisadora do Harvard School of Public Health – HSPH e do Bethid Deaconess Medical Center (BIDMC) – 2012, informa que beber uma ou duas xícaras de café diariamente pode ajudar a proteger contra a insuficiência cardíaca, mas o excesso pode levar a graves problemas cardíacos.

Já a pesquisa do Australian Centre for Precision Health, da University of Southern Australia, assinado por Elina Hyppönen e Ang Zhou – 2019, estudando sobre a dose máxima de café, aquela que não prejudica a saúde cardiovascular do organismo, analisou padrões de alimentação e exames de saúde de 346.077 indivíduos com idade entre 37 e 73 anos do banco de dados do UK Biobank, e concluiu que o número ideal é o de cinco xícaras diárias. Segundo o estudo, a partir do momento que alguém começa a beber seis ou mais xícaras de café por dia, o risco de doenças cardíacas pode aumentar em até 22%.

Ambos estudos demonstram que beber café na dose correta faz bem à saúde, já que a fruta contém nutrientes essenciais para o bom funcionamento do organismo, prevenindo doenças como câncer, diabetes, degenerativas do cérebro entre tantas outras.

Para Daniela Zaminiani, barista da rede Sterna Café, os benefícios da bebida vão além de aumentar a capacidade de foco, sendo também um potencializador da memória. Ele também auxilia na prevenção de diabetes, problemas cardíacos, envelhecimento precoce e também depressão. “O consumo do café realmente traz vantagens na manutenção da saúde e beber o café especial, aquele livre de impurezas, garante que o corpo absorverá apenas as substâncias que fazem bem”, informa Zaminiani.

Além da qualidade do café, a barista alerta para a quantidade: “Tomar café é salutar, principalmente o especial que é superior ao tradicional, porém bom senso é primordial, já que tudo que é usado em excesso acaba sendo prejudicial”, finaliza.

In this article

Join the Conversation