ESTILO

Arquitetura de autor: arquitetos e projetos mudam a cena em Curitiba

Talentos nacionais unem-se a L'Espace para reinventar a arquitetura em uma das cidades mais reconhecidas por seus projetos de vanguarda

Curitiba é reconhecida internacionalmente como vanguarda em projetos arquitetônicos urbanísticos, que inovam e rompem com padrões tradicionais. No que diz respeito ao setor imobiliário, a cidade experimentou uma certa padronização, em parte decorrente do crescimento acelerado das vendas. As ruas exibem empreendimentos muito semelhantes entre si, nascidos de uma forte demanda comercial, que nem sempre combinam a oferta com a necessidade por espaços que contemplem forma, função e beleza.

Um grupo de arquitetos com trajetória nacional e internacional está especialmente empenhado em desenhar espaços nessa perspectiva de aprimorar e diversificar a cena local. Ângelo Bucci e Ricardo Heder, de São Paulo, Marcos Bertoldi e os profissionais do Arquea Arquitetos (Pedro Amim, Bernardo Richter, Fernando Caldeira de Lacerda), de Curitiba, estão trabalhando juntos em projetos que serão conhecidos em breve pelo mercado.

Profissionais renomados, eles foram reunidos pelo arquiteto e urbanista Alexandre Dely, sócio-fundador da L’Espace Incorporadora, que prepara o lançamento de três empreendimentos residenciais no primeiro semestre de 2022.

“Com o setor de construção civil superaquecido, vimos o surgimento de projetos que  replicam outros projetos. Acredito que seja possível mudar a cena, especialmente reunindo nomes como Ângelo Bucci, Marcos Bertoldi e Pedro Amim em uma mesma filosofia de  trabalho”, comenta Alexandre Dely.

Para Pedro Amim, sócio do Arquea Arquitetos, é preciso recuperar a valorização de projetos únicos, que tenham assinatura própria. 

“Quando estudei arquitetura, os meus professores falavam sobre quem criou a teoria da arquitetura moderna. Todos citavam também quem executou e colocou isso em prática: o Brasil com as ideias e projetos do Oscar Niemeyer. É isso que o Ângelo Bucci, por exemplo, faz e buscamos na Arquea também: projetos ousados, contemporâneos, únicos e que tenham a assinatura do profissional que criou”, explica.

“A possibilidade de trabalhar com o Bucci é única. Por ser um profissional fora de série, professor da FAU USP, cada reunião acaba sendo um aprendizado. O Brasil tem grandes nomes. Quando estudei arquitetura na Espanha, meus professores citavam Oscar Niemeyer, que pôs em prática os conceitos da arquitetura moderna e isso dá orgulho, nos inspira. O concretismo veio do Villanova Artigas, um arquiteto paranaense. Temos outro expoente, que é o Paulo Mendes da Rocha. Junto com Ângelo Bucci, temos um grupo de arquitetos que é referência internacional quando falamos em arquitetura de autor”, diz Pedro Amin.

Estagnação arquitetônica de Curitiba

Os investimentos realizados a partir da década de 70 em mobilidade, sustentabilidade e projetos transformaram Curitiba em sinônimo de cidade pensada e planejada para as pessoas. Tudo isso se refletiu também nas construções residenciais e comerciais. Pedro observa que, desconsiderando as exceções que sempre existem, a capital paranaense parece ter ficado para trás se comparada a outras cidades brasileiras.

“Precisamos de ideias e de projetos que tenham mais cultura e o porquê das coisas. Precisamos deixar de lado o fazer para suprir única e exclusivamente uma demanda de mercado que nem sempre é a melhor para a cidade. O Alexandre (sócio da L’Espace) acredita nisso também. Não à toa buscou um profissional com capacidade de ganhar um nobel de arquitetura como o Ângelo Bucci, e arquitetos dispostos a fazer isso acontecer.”

Amin destaca a importância de pensar em cada morador, ao abraçar um projeto. “Óbvio que somos brifados e precisamos atender o que pedem. A gente é muito prático. Mas a gente sempre se imagina no espaço. Não só a gente, mas como também quem usaria. Construímos espaços para as pessoas vivenciarem.”

Equilíbrio entre arquitetura pura com a arquitetura comercial

A escolha dos arquitetos para os novos empreendimentos da L’Espace considera o desejo de equilibrar a arquitetura pura com a arquitetura comercial. O curitibano Marcos Bertoldi, reconhecido pelos ousados projetos de casas, assinou pela primeira vez um edifício ao projetar o Galerie, que a L´Espace entregou em 2010, no bairro Cabral. E agora traz seu olhar – ao mesmo tempo cosmopolita e sintonizado com a cidade – para o L’Espace Verdigris, que será construído no bairro Bigorrilho.

Para o blōma, a ser erguido no Ecoville, a L´Espace foi buscar o arquiteto e professor Ângelo Bucci, do escritório SBPR, um dos grandes nomes da arquitetura contemporânea brasileira, cuja obra tem reconhecimento internacional e é marcada pela leveza das estruturas.

Enriquecimento urbano

Criada oficialmente em Curitiba em 2010, a L´Espace tem cinco empreendimentos com sua marca. Os novos projetos em fase de pré-lançamento estão alinhados com a filosofia da empresa de desenvolver empreendimentos imobiliários que aliem respeito ao entorno urbano, estética arquitetônica apurada e elegante, o melhor em tecnologia e qualidade construtiva. 

Deixe um comentário