ESTILO

Arquiteta compartilha soluções para otimizar o uso dos ambientes no décor de interiores

Um projeto muito bem executado e uma marcenaria planejada sob medida são fortes aliados na missão de aproveitar com maestria os espaços da casa

Ao se deparar com um projeto de uma casa ou apartamento, a funcionalidade de cada ambiente deve ser priorizada, assim como sua setorização. Isso é necessário para que, ao escolher os móveis e objetos que preencherão o cômodo, os espaços sejam bem aproveitados, tanto para armazenamento quanto para criar locais multifuncionais.

CONFIRA TAMBÉM: Loft de 48m² aproveitou soluções práticas para criar ambiente amplo

“Pagamos muito caro por cada metro quadrado e é um desperdício usufruirmos alguns ambientes apenas ‘de vez em quando’. Assim, quando pensamos em um projeto, a otimização é essencial”, afirma a arquiteta Cristiane Schiavoni, à frente do escritório que leva o seu nome.

Para atingir esse objetivo, algumas soluções podem ser desenvolvidas, sempre levando em consideração o tamanho, a principal função do ambiente e como ele pode ser melhorado.

Ambiente multiuso: nos dias de semana, a varanda funciona como uma sala de jantar. Já nos dias de lazer, o projeto realizado por Cristiane Schiavoni revela um espaço para fazer churrasco entre amigos. Basta retirar a pedra que camufla a bancada e, para dar suporte, acionar o apoio de marcenaria idealizado pela arquiteta. (Foto: Carlos Piratininga)

Nesse sentido, é possível refletir a respeito de como realizar esse aproveitamento de forma simplificada. “Ao quebrar alguns paradigmas, o morador conseguirá transformar completamente o uso de um cômodo”, conta a profissional. Um exemplo clássico é o tamanho padrão dos armários em um quarto. Para armazenar roupas, principalmente camisas e jaquetas, o tamanho mínimo é 60 cm de profundidade. Entretanto, se o local for destinado apenas para guardar calças, será possível reduzi-lo para 45 cm. Nessa pequena alteração, o cômodo já ganhou 15 cm que poderão aperfeiçoar a circulação.

A fim de ajudar nessa tarefa, a arquiteta reuniu alguns recursos que emprega com frequência em seus projetos. Confira a seguir:

1) Adeus paredes

As paredes são comumente erguidas para a divisão dos ambientes. Entretanto, elas não são as únicas que podem desempenhar essa função. O mobiliário bem planejado, como estantes ou cristaleiras, pode exercer esse papel por meio de sua espessura e ainda proporcionar algo mais, como nichos de armazenamentos. “Fazendo uma conta rápida: se somarmos os 15 cm da parede com os 15 cm que avançamos com um móvel, já temos aí temos 30 cm que poderão ser usados para circulação, por exemplo. Qualquer centímetro a mais é válido”, aconselha Cristiane Schiavoni.

Neste projeto, o corredor ganhou um roupeiro com a demolição da parede. Mais uma vez, a parte de trás do móvel é o closet do casal. “Derrubei uma parede de 20 cm que possibilitou a criação de um móvel multifunção”, relata a profissional (Foto: Carlos Piratininga)

O uso de móveis planejados na otimização dos espaços não seria possível sem a ajuda da marcenaria. Esse artifício cria peças que reúnem muitos papeis, sendo necessário contratar um bom profissional tanto para o projeto, quanto para sua execução.

2) Múltiplas funções em um mesmo ambiente

Com o aumento de projetos de apartamentos com medidas reduzidas, cresceu a necessidade de conceber cômodos que acumulem utilidades. Esse é outro recurso muito aplicado pela arquiteta para aproveitar os espaços. Muito além das situações mais comuns, como a sala que também é home office, existem casos específicos como o uso do quarto de hóspedes.

A maioria dos moradores que contam com esse ambiente recebem familiares e amigos poucas vezes durante o ano, razão que deixa o local inutilizado em boa parte do tempo. “Nesse exemplo, é primordial destinar mais uma aplicação para o lugar”, afirma a arquiteta.

O closet desse apartamento se transforma em um quarto de hóspedes quando necessário. A cama fica totalmente embutida, sendo retrátil. Nos dias com visitas, os moradores fecham a porta acústica de vidro e quem os visita pode usar tranquilamente o banheiro anexado | Projeto: Cristiane Schiavoni (Foto: Carlos Piratininga)

Em ocasiões mais frequentes, dormitórios, salas e varandas podem abrigar muitas atividades. “Sobretudo durante a quarentena, nós percebemos a importância de ter uma casa funcional que atenda todas as nossas demandas. Afinal, os ambientes serão usados, de formas diferentes, ao mesmo tempo”, analisa Cristiane Schiavoni.

3) Cantinhos esquecidos

Quem não possui um cantinho abandonado dentro de casa, não é mesmo? Geralmente, esses locais não possuem metragem suficiente para receber móveis como aparadores ou estantes. Entretanto, se bem explorados, eles podem incorporar diversas funcionalidades, principalmente aquelas relacionadas a armazenamento.

Neste projeto, a passagem entre a varanda e a sala de estar, ao invés de uma parede de 30 cm, ganhou uma cristaleira. Nela, os moradores organizam os cristais e bebidas. A peça possui duas aberturas, podendo ser acessada nos dois ambientes | Projeto: Cristiane Schiavoni (Foto: Carlos Piratininga)

Sejam documentos, utensílios domésticos, livros ou até mesmo calçados e roupas, todos precisam de um espaço organizado e de fácil acesso dentro de casa. “Otimizar está diretamente ligado a um bom planejamento. Para isso, contratar um profissional resultará em um projeto funcional e prático”, recomenda Cristiane.

Deixe um comentário