A melhor idade para se conectar: 10 apps para a terceira idade

A melhor idade para se conectar: 10 apps a terceira idade

Algumas sugestões de aplicativos e outros recursos para melhorar a qualidade de vida desse público

0
Compartilhe

A terceira idade está cada vez mais conectada: uma pesquisa realizada em 2016 pelo Instituto Locomotiva revelou que, em apenas oito anos, houve um aumento de 940% de pessoas com mais de 60 anos conectadas à internet. Aqui vão algumas sugestões de aplicativos e outros recursos para melhorar a qualidade de vida desse público.

Cuidador digital

Em casos de emergência, como em um tombo, levantar e pedir ajuda pode ser extremamente difícil. Para esses casos, o Cuidador Digital oferece um botão de emergência que pode ser pendurado no pescoço ou amarrado no pulso (como um relógio) e levado a qualquer lugar. Um chip telefônico acoplado na base do aparelho garante que até cinco contatos recebam uma ligação no celular, ouçam o barulho no ambiente e possam prestar auxílio.
cuidador.digital

Caixa de remédios

Quem tem muitos medicamentos para tomar pode contar com a ajuda de um aplicativo que organize a rotina e acione alarmes para o paciente não esquecer nenhum comprimido. No Caixa de Remédios, é possível inserir os nomes dos medicamentos (ou mesmo identificá-los pelo código de barras), e o banco de dados do App já vem com informações como concentração, composição e interações com a alimentação.
Disponível para Android e iPhone.

Lumosity

Palavras-cruzadas e outros jogos do tipo são ótimos para exercitar a memória e a concentração. Mas o Lumosity, desenvolvido por cientistas e designers, fornece uma série de exercícios de concentração, foco e memória que vão sendo elaborados individualmente, conforme o desempenho da pessoa nos exercícios anteriores. O App é pago, mas uma versão gratuita permite acesso a uma quantidade limitada de exercícios por dia.
Disponível para Android, iPhone e iPad.

Easyglic

Para quem sofre de hipoglicemia, esta pode ser uma solução e tanto: trata-se de uma pulseira que faz, de forma não-invasiva, o monitoramento constante dos níveis de glicose no sangue de quem a utiliza. Se os sensores de alta precisão detectarem alguma alteração repentina, o sistema pode enviar alertas para celulares de usuários cadastrados, como pais, filhos ou acompanhantes. Criado em Brasília, o gadget está em processo final de desenvolvimento e deve chegar ao mercado ainda neste semestre.
easyglic.com.

Dring Smartcane

Desenvolvida pela startup francesa Nov’in, é a inovação de um item que a humanidade utiliza há séculos: a bengala. Agora na versão inteligente, conta com um sistema eletrônico que monitora os movimentos. Usando inteligência artificial, sistema GPS e chip telefônico, a bengala detecta os padrões de movimento do usuário e percebe anomalias (como possíveis quedas, cansaço e mudanças nos hábitos de sono). Nesse caso, a Smartcane pode enviar automaticamente mensagens, e-mails ou fazer ligações para familiares ou cuidadores cadastrados.
dring.io/en.

Tabfácil

Pensado e desenvolvido especificamente para a terceira idade, é um tablet da empresa brasileira de tecnologia DL. Os ícones são grandes e os aplicativos que já vêm instalados são de fácil usabilidade, atendendo às principais necessidades desse público. Funções específicas podem ajudar no controle dos remédios e hábitos. Há ainda jogos clássicos como damas e palavras cruzadas. Na página inicial, um grande botão vermelho de SOS ajuda no contato com familiares em casos de emergência.
dl.com.br

Oscar Senior

O App muda a aparência do sistema, deixando os botões maiores e mais fáceis de usar, e fornece um sistema próprio de comunicação por vídeo e por mensagens (como um Skype integrado). O destaque vai para o fato de que integrantes da família podem ganhar acesso remoto ao aparelho, podendo adicionar e remover contatos e outros aplicativos mesmo a distância.
Disponível para Android, iPhone e iPad.

GLIC

Para ajudar no controle de todos os índices relacionados à diabetes, procure o Glic, um App brasileiro para o controle da glicemia. Ele foi desenvolvido para auxiliar na rotina de cuidados com a doença por meio de funcionalidades como registro de carboidratos, cálculo de dose de insulina, lembretes de medicamentos e registros de glicemia. O Glic ainda pode se conectar em tempo real com a equipe médica por meio de um prontuário eletrônico, dando instrumentos para decisões mais esclarecidas durante o tratamento.
gliconline.net.

Como uma lupa

Antigamente, havia quem andasse com uma lupa para conseguir ler as letras pequenas em livros, revistas e bulas de remédio. Mas hoje existem inúmeros aplicativos que dão um upgrade nesse utensílio. Um deles é o Magnifier + Flashlight, que usa a câmera do celular para aumentar as letras e ainda fornece outros recursos, como lâmpada, fotos e imagens em negativo para o texto ficar em alto contraste e facilitar a leitura.
Disponível para Android, com modelos similares para iPhone.

Legibilidade

Uma dica básica mas que já pode facilitar a vida de idosos é aumentar o tamanho da letra na tela do smartphone. No Android, você pode fazer essa alteração acessando Configurações do visor ou tela, ou procurando a parte de Acessibilidade. Em iPhones ou iPads, é possível fazer essa alteração pelo seguinte caminho: Ajustes > Geral > Acessibilidade > Texto Maior (ou Fontes Maiores no iOS 7). Um celular que não seja tão difícil de ler já é o primeiro passo para se adaptar.

Stitch

O site australiano ganhou fama de “Tinder dos idosos” por permitir apenas usuários com mais de 50 anos em sua rede. Mas a verdade é que seus serviços vão além: mais do que apenas um ponto de paquera e romance, o Stitch facilita para que idosos encontrem companhia e novas amizades para viagens, atividades em grupo, jantares e outros programas. O site (ainda não disponível no Brasil) garante um sistema de segurança para assegurar a autenticidade de todos os usuários, evitando golpes. stitch.net

*Matéria originalmente publicada por Felipe Gollnick na edição 203 da revista TOPVIEW.

In this article


Join the Conversation