ESTILO

7 itens que fazem um prédio ser saudável e seus impactos na saúde

Para viver mais e melhor, é preciso pensar os espaços em que passamos a maior parte de nosso tempo, seja morando ou trabalhando. Saiba o que faz um edifício ser verdadeiramente saudável

A saúde atrelada ao setor imobiliário nunca esteve tão em alta. Com a pandemia da Covid-19, cada vez mais pessoas perceberam a importância de viver e trabalhar em espaços que pensem a saúde como finalidade do ser e estar. Nessa esteira, os healthy buildings (ou edifícios saudáveis, na tradução literal), colocam a saúde como premissa, abordando-a de forma holística, ou seja, a saúde biológica, psicológica e social.

Prédios verdadeiramente saudáveis se preocupam com uma série de itens que, somados, funcionam como uma armadura imunológica para o corpo, impactando em qualidade de vida, anos vividos e doenças reduzidas. A ideia, então, é pensar em espaços que promovam mais saúde e condicionem comportamentos mais saudáveis, resultando em uma percepção de valor muito tangível para seus ocupantes.

médica e head de inovação da AG7, Andressa Gulin, conversou com a Imobi Report durante live e destacou sete características essenciais dos healthy buildings, e seus impactos diretamente na saúde. Confira!

(Foto: divulgação)

1. Ventilação natural e seu impacto na produtividade e no bem-estar

Há estudos na área que apontam que, pessoas que trabalham ou vivem em ambientes sem ventilação natural, na dependência exclusiva do ar-condicionado, chegam ao final de oito horas com um acúmulo de gás carbônico no organismo equivalente a duas taças de vinho. Como consequência, nota-se queda na produtividade, na satisfação, na felicidade e na capacidade de tomada de decisão. Já ambientes bem ventilados permitem a troca de ar com o exterior, contribuem para a redução de doenças respiratórias provocadas por ácaros, mofo e umidade, reduzem os odores dentro do imóvel e evitam a contaminação por dióxido de carbono. Quesito essencial para um prédio saudável!

2. Iluminação natural e o poder de olhar para fora

Além da qualidade do ar, outra preocupação que caracteriza os healthy buildings é com a iluminação natural. Pessoas que passam parte de seu tempo perto de janelas, seja em casa ou no trabalho, contam com o poder adstringente dos raios UV, que funcionam como um “álcool em gel natural” contra vírus, bactérias e fungos. Além disso, há a questão do conforto térmico – essencial para a sensação de bem-estar –, uma vez que ambientes escuros criam sensações de tensão, com aumento da frequência cardíaca e consequente elevação do estresse e dos níveis de cortisol. A possibilidade de se olhar para fora e se conectar com a natureza também é ponto de destaque, uma vez que isso cria um acolhimento capaz de reduzir o estresse. Além disso, há uma explicação fisiológica para as boas sensações que o horizonte promove: quem olha para longe relaxa a musculatura do cristalino (uma estrutura do globo ocular), daí a explicação para o conforto sentido ao olhar estrelas e paisagens. Quem não tem para onde olhar longe, sofre uma tensão constante dessa musculatura, cansando e prejudicando a vista.

3. Conforto térmico

Diretamente ligado à boa escolha de materiais de construção, à boa ventilação, ao uso de esquadrias adequadas e à implantação do projeto no terreno, o conforto térmico garante que uma pessoa se sinta bem nos ambientes que frequenta, independentemente da estação do ano. Casas e edifícios bem pensados são construídos com materiais que se aplicam adequadamente a cada cidade.

4. Conforto acústico

Trabalhar, viver e dormir em lugares silenciosos, na medida do possível, é uma demanda de importância irrestrita. Lugares com ruído de fundo controlado colaboram para a concentração e para a manutenção da acuidade auditiva ao longo dos anos. Quando se fala em healthy buildings, se fala em construções pensadas para a saúde a longo prazo, não apenas para a saúde imediata. São “microdoses” e pequenas escolhas do dia a dia que fazem com que as pessoas vivam mais e melhor.

5. Qualidade da água registrada

Ainda que a água que chega à casa das pessoas seja bem tratada, é sabido que, ao longo de todo o trajeto, ela é exposta nos canos a micronutrientes, detritos e microssedimentos. Assim, os healthy buildings realizam controles periódicos da água, com análises laboratoriais frequentes, de modo a manter a água ideal para não somente não disseminar doenças, mas também preveni-las.

6. Segurança e experiência

O entorno dos healthy buildings também entram nessa conta. A percepção da segurança está diretamente ligada à forma como as pessoas se sentem, com impactos importantes em sua saúde mental. Pensar em um entorno seguro significa pensar em boa iluminação, boas calçadas e em decisões técnicas e estéticas que, juntas, farão com que a violência não seja atraída. São pequenos movimentos que se reverberam, criam senso de comunidade e ajudam a construir mais ambientes similares, promovendo, assim, mais confiança e segurança. A experiência, por sua vez, está ligada não apenas ao produto imobiliário em si, mas a tudo o que ela vai oferecer para muito além da construção. Na AG7, a experiência do consumidor está ligada a estilo de vida e está firmada em itens como saúde, localização, experiência, design e sustentabilidade. Trata-se de toda uma programação de saúde que garante tempo vivido com qualidade, em uma estrutura e atmosfera pensadas para induzir os melhores comportamentos e em uma atmosfera que seja referência em cultura, vivem bem e qualidade de vida.

7. Não basta ser Residencial, prédios Comerciais também precisam ser saudáveis

Uma vez que as pessoas passam, em média, 20h diárias dentro de edifícios (o que representa 92% de suas vidas), esse movimento não pode acontecer exclusivamente para o segmento residencial (e, ao contrário do que se pode imaginar, para o segmento de alto padrão). Na verdade, os healthy buildings vêm com muita força na área comercial, com projetos que se preocupam cada vez mais em criar espaços com vistas à saúde de seus ocupantes.


Serviço:
AG7
Onde: Av. Sete de Setembro, 5739 – Edifício Priori (sala 303)

Telefone: (41) 3128-8203  
Site: clique aqui
Instagram: @ag7realty

Deixe um comentário