ESTILO

5 razões para ficar atento ao mercado imobiliário de luxo em Santa Catarina

Consultor da Top Brokers, Wagner Bonato aponta um novo “boom” no Vale do Itajaí e aconselha investidores e quem deseja adquirir um imóvel na região

Mesmo em meio à crise, o segmento de luxo nacional segue uma realidade paralela de crescimento. No fim de 2020, a imobiliária Lopes divulgou que a procura por imóveis no litoral ou casas de campo havia aumentado em 63% durante a pandemia, conforme banco de dados dos seus imóveis. Essa realidade se reflete diretamente em Santa Catarina e seus locais como o Vale do Itajaí, com cidades como Balneário Camboriú, Blumenau e Navegantes, entre outras, conhecidas por seus imóveis e edifícios grandiosos.

“Há alguns motivos para essa tendência de novo ‘boom’ imobiliário permanecer no estado, mas a principal é: as pessoas com alto poder aquisitivo passaram a viajar menos desde o ano passado, e olhar mais para o ‘quintal de casa’”, afirma Wagner Bonato, consultor da Top Brokers, especializada em imóveis na região.

Essa visão do “quintal de casa”, conforme explica Bonato, não se restringe aos moradores da região: muitas pessoas também vêm de outras localidades, seja buscando uma vida mais próxima de belezas naturais, ou também porque gostam de praia e se permitiram quando passaram a trabalhar de forma remota permanentemente.

Confira abaixo uma lista de razões para ficar atento a esse movimento, selecionadas por Bonato:

Consumidores do mercado de luxo sentem a crise com impacto menor

Investir no mercado imobiliário, para muitos, é uma forma mais estável de geração de renda. Outra razão para o segmento se manter fortalecido é que, neste período de crise, os consumidores desse mercado sentem menos os impactos da crise. Tomemos como exemplo a venda de veículos esportivos: em 2020, a venda de SUVs e esportivos pela Lamborghini cresceu mais de 10%, em um momento que a maioria das pessoas estavam dentro de casa, sem poder sequer viajar.

Preocupação com qualidade de vida e conforto

Se quem tinha uma poupança guardada decidiu reformar o quintal ou melhorar a própria casa, os milionários decidiram ir além. A maior preocupação com a qualidade de vida e conforto da família, os novos valores de vida que surgiram neste período, sem dúvidas fizeram toda diferença para que imóveis com valores mais altos sejam vendidos de forma mais rápida neste período. Quem pode pagar pelo conforto, está mais aberto a investir nele.

Secovi-SC apontou crescimento na procura por imóveis de luxo em 30% para Santa Catarina

O Secovi-SC divulgou no início do ano um aumento na procura de imóveis de luxo em 30% em no estado, uma prova concreta do aumento do interesse na região. A isso se devem fatores como: vontade de viver próximo ao mar e belezas naturais; vida próxima à família e longe dos centros urbanos; e, também, a possibilidade do trabalho remoto para alguns.

Aumento dos novos “empreendedores”: pessoas comuns que investem no segmento

O aumento da demanda por imóveis em todo litoral catarinense trouxe também novos empreendedores, muitas vezes, pessoas comuns que sonham em ter sua incorporadora.  Apesar de ser positivo para o mercado, acende um alerta para o cliente que muitas vezes compra um imóvel ainda no papel. É sempre válido pesquisar sobre a idoneidade da construtora, conhecer empreendimentos já entregues é sempre muito importante.

A tendência deve ir além da pandemia

Este conceito já existia antes mesmo da pandemia: condomínios e edifícios com ampla área de lazer são um dos grandes atrativos para quem busca em um imóvel na região, seu refúgio. As pessoas que compram um imóvel no litoral e vivem em outras cidades, estes principalmente, querem se desligar de suas rotinas estressantes. O que mudou é que muitos estão pensando em fazer do seu imóvel de lazer, a moradia principal, e com isso imóveis que proporcionam qualidade de vida e praticidade são sucesso de vendas.

Deixe um comentário