Para levar uma vida mais organizada: a diferença entre planner e bullet journal

Convidamos três especialistas no assunto para te ajudar a escolher o método mais conveniente de organização para o dia a dia

2454 0

Pense em alguém que consegue conciliar os vários papéis que a vida moderna exige e com excelência. Essa tão admirada organização pode ser mental, mas muitas vezes está aliada a uma robusta agenda. Aproveitando janeiro e o clima típico de início de ano, conversamos com três especialistas em organização – a coach Gisele Cipili, especialista em gestão de pessoas, e duas usuárias de planners, Juliana Câmara, arquiteta e projetista, e Lênia Luz Nogueira, fundadora do Empreendedorismo Rosa. Descubra as diferenças entre bullet journal e planners e como ter uma vida mais organizada em 2018.

Como começar: diferenciando bullet journal de planner

Planners, ao contrário das agendas comuns, são flexíveis, leves e costumam ter diagramações personalizadas. Podem ser encontrados em papelarias especializadas ou adquiridos por fabricantes online.

Já o bullet journal é voltado para o Do It Yourself (DIY). Pode ser tanto uma caderneta de afazeres, como um diário onde você anota suas responsabilidades e necessidades. Geralmente não tem linhas ou é quadriculado, facilitando diagramações personalizadas.

Conhecendo seu perfil

Para a coach Gisele, “organizar a vida em áreas e ter um propósito definido para cada uma delas é transformador”. No entanto, o mais comum quando alguém decide melhorar sua organização pessoal é fazer o download de vários aplicativos e comprar muitas agendas. Isso pode gerar mais desorganização, visto que todas as suas responsabilidades estão separadas em diversos locais.

“O planner que você escolher precisa ser uma ferramenta de acordo com a sua realidade”, explica Juliana. Por isso, é necessário se perguntar qual a forma de organização que mais combina com a sua personalidade e perfil. A resposta dessa pergunta irá direcionar você ao tipo de caderno que deve comprar. “O importante é usar a ferramenta que mais combina com aquilo que você precisa” finaliza Lênia.

Perfil de planner: são usados por quem precisa de uma visão mais ampla da semana e gosta de diagramações organizadas. No entanto, não se sente confortável em desenhar, preferindo versões já prontas.

Perfil de bullet journal: mais ligado à expressão artística, se adapta às pessoas que gostam de reservar um tempo para escrever e criar. Além de agenda, o BuJo costuma servir como um diário, onde a pessoa também transcreve acontecimentos do seu dia.

Lênia Luz Nogueira, fundadora do Empreendedorismo Rosa. (Foto: Taciana Grabowski Trevisan)

E o mais importante: não se puna!

O importante é usar seu planner ou bullet journal de forma saudável. Para isso, não deve se punir quando não conseguir escrever nele todos os dias ou quando uma meta não é alcançada. “Ainda mais para mulheres, que costumam abraçar o mundo com as mãos, o planejamento ajuda a mostrar que às vezes não conseguimos fazer tudo”, relembra Juliana, que procura sempre manter os pés no chão quanto ao próprio planejamento.

Para Gisele, “o ser humano têm duas forças motivadoras básicas: fugir da dor e buscar o prazer”. Ao não alcançar uma meta, a dor gerada pode incentivar a continuar persistindo. No entanto, é preciso tomar cuidado para não se tornar tão crítica consigo mesma. Procurar melhorar é essencial, mas saber elencar prioridades e metas possíveis de serem alcançadas é tão essencial quanto. “Um planner ideal é aquele que te ajuda a organizar sua semana”, finaliza Lênia.

Baixe aqui o planner da Lênia.

E aqui o planner da Juliana.

Neste Artigo


Converse com a Gente