No feriado: levar ou não os pets para viajar?

Nesse momento, é preciso tomar alguns cuidados importantes. Veja as dicas da coordenadora de Medicina Veterinária da UP, Thaís Casagrande, e da farmacêutica Sandra Schuster

0

Feriados sempre são uma oportunidade para viajar e aproveitar os dias de descanso, mas como ficam os cães e gatos? Essa é uma das maiores preocupações dos tutores, que precisam tomar algumas precauções para deixar o animalzinho ou para levá-lo na viagem.

Para planejar melhor esses cuidados, confira as dicas da coordenadora de Medicina Veterinária da Universidade Positivo (UP), Thaís Casagrande, e da farmacêutica Sandra Schuster, da docg., primeira empresa de vendas diretas de produtos para pets.

1 – O pet não poderá acompanhar a viagem. O que é melhor: hotel ou pet sitter?

Segundo a professora Thaís Casagrande, a escolha por hotel ou contratação de pet sitter depende muito da personalidade do pet. Animais mais introvertidos ou medrosos podem ficar muito estressados ao serem retirados do ambiente e ter sua rotina alterada. Gatos e cães idosos, são um exemplo disso. Nesses casos, o mais indicado é contratar um pet sitter. Já para os animais mais sociáveis e que precisam de mais exercícios, o hotel pode ser a melhor opção.

2 – Cuidados ao levar o animal para um hotel

O primeiro cuidado é buscar referências com conhecidos ou clientes. O tutor deve levar em consideração as instalações, o conforto, higiene do local e disponibilidade de funcionários para tratar os animais. “Brincadeiras e interação entre os cães é importante, mas é preciso que isso seja feito por profissionais capacitados que saibam avaliar o porte e perfil dos pets e possam encaixá-los nos grupos adequados, evitando brigas e acidentes”, orienta Thaís.

O vermífugo e carteira vacinal devem estar em dia e isto inclui a imunização contra a gripe e a raiva. É fundamental lembrar das medicações de uso contínuo com o esquema de horários para administração. O hotel também deve registrar as informações de contato do veterinário e hospital de preferência dos tutores, caso aconteça alguma intercorrência. Outros remédios como antipulgas e carrapaticida são recomendados.

O animalzinho também deve levar seus pertences durante a estadia. Tudo isso vai ajudá-lo a se sentir “em casa”. Caminhas, cobertas, brinquedos preferidos, comedouros, bebedouros e, principalmente, a ração. Outra dica é enviar uma peça de roupa do tutor, para que o pet se sinta mais calmo devido ao odor familiar.

3 – Cuidados para ficar com um pet sitter

Nesse caso também é fundamental buscar referências do profissional a ser contratado e apresentá-lo ao pet dias antes da viagem, observando como foi a interação entre os dois. O profissional deve ser informado sobre as características do animal, como comportamento, medos, agressividade e preferências.

 O ideal é que as visitas do pet sitter não alterem a rotina do animal, mantendo os horários de alimentação, brincadeiras e passeios. O profissional também deve ser bem orientado sobre o animal que irá cuidar. Hoje em dia temos a tecnologia a nosso favor, portanto vale solicitar fotos e vídeos do pet nos momentos de visitação do pet sitter.

4 – O pet vai acompanhar a família na viagem de carro. Quais os cuidados?

Se o pet ainda não estiver acostumado com passeios de carro ou sentir medo, é preciso acostumá-lo dias antes da viagem. Promova passeios curtos e vá aumentando o tempo aos poucos. Recompensar o animal após o passeio, também é uma boa dica.

Além disso é preciso cuidar da segurança durante o transporte “Os cintos de segurança são uma boa dica para que os cães possam viajar mais tranquilos, porém esse deve ser de acordo com o peso do animal e estar sempre preso a um peitoral. Nunca prenda o cinto a uma coleira porque, em um impacto, pode causar uma lesão cervical”, completa Thais.

É preciso atentar para o conforto térmico no interior do carro, pois os animais são bem mais sensíveis às altas temperaturas. Paradas periódicas para eliminação de fezes e urina devem ser previstas, assim como oferecer água diversas vezes durante o trajeto.

O destino é um lugar quente? Então filtro solar e hidratante para focinhos e patas são indispensáveis. Antes do passeio, filtro solar no focinho e pontas das orelhas. No retorno do passeio é importante lembrar de limpar as patas do pet.

 

 

Neste Artigo

Converse com a Gente