De Tel Aviv para Itajaí: o modelo de Israel em startups catarinenses

Catarinenses estão no Oriente Médio para buscar modelos inovadores

0

O modelo de Israel, que transformou a nação de apenas 7 milhões de habitantes na meca das startups, pode ajudar Itajaí a gerar novas oportunidades de negócios e empregos.

No primeiro dia da missão catarinense em Tel Aviv, a delegação itajaiense visitou a universidade local e a fábrica de drones e sistemas militares e de segurança Aeronautics. Israel é, atualmente, a nação que promove mais investimentos em pesquisa e desenvolvimento. São cerca de 4,5% do seu PIB (Produto Interno Bruto).

Segundo levantamento do governo de Israel, o país chega a ter uma startup para cada 1,8 mil cidadãos – são cerca de 3,8 mil empresas. Esse movimento fez com que o país se tornasse, também, terreno fértil para as empresas de venture capital (aquelas que investem em novas iniciativas, mesmo com risco), o que contribui para aumentar o dinheiro em circulação. O investimento nesta área é 80 vezes maior que o registrado na China, por exemplo, e 350 vezes superior ao valor injetado na Índia.

Israel ainda possui centros de desenvolvimento de grandes empresas de tecnologia, como é o caso da Microsoft, que a delegação catarinense também deve visitar. “É interessante porque o modelo desenvolvido aqui inclui a valorização não só dos casos bem sucedidos, mas também daqueles fracassados, que numa eventual persistência de novas ideias constroem o caminho do sucesso. Vamos trazer para Itajaí muito desta experiência de ‘Israel – uma nação startup’, para fazermos da nossa Itajaí também uma cidade startup”, avaliou o prefeito Volnei Moratoni.

 

Neste Artigo


Converse com a Gente